Sono Praiano (Dâmaris Lívia)



Hoje o mundo acordou triste, chocado, com raiva, dolorido e cheio de eufemismo pra falar da realidade.
Hoje eu acordei, meio sonolenta sentei-me em frente à televisão e vi meu sono ir embora e ser substituído pelo choque e repulsa. 
Hoje, hoje, hoje... triste saber que os sentimentos que permeiam o hoje irão embora na próxima semana. 

Me senti na incumbência de falar sobre isso, de crônicar sobre isso. Vi uma criança morta na praia pelo o egoísmo das grandes potências. Vejo nas redes sociais pessoas em uma comoção total, e dói saber que elas estão dentro de uma massa de manobra que é comovida, mas não sabem nem o nome do pobre menino, não sabem o motivo da morte, não entendem que o egoísmo que tanto criticam está nelas.

Divertida Mente (2015) - Resenha | por Dâmaris



"Já olhou pra alguém e pensou: o que passa na cabeça dela?"
Costumeiramente não fazemos resenha de filmes no blog, mas este mês assisti um filme e fui levada a pensar que nada melhor do que resenhar tal filme, devido a como fiquei encantada com a genialidade. Divertida Mente (Inside Out), esteve esse mês de julho em cartaz no cinema e desde o primeiro momento em que vi o trailer fiquei encantada pela criatividade dos diretores e roteiristas. O filme é contará a história de Riley uma garota de 11 anos que tem uma família unida, ama jogar Hóquei, e tem uma melhor amiga de infância que sempre está com ela, mas tudo muda quando ela precisa de mudar para São Francisco com seus pais. Mas o mais interessante é ver o que se passa na cabeça dela em situações comuns a todos com os cativantes personagens: Alegria, Tristeza, Raiva, Nojinho e Medo. 

Madrugadas (Dâmaris Livia)



Queria saber quem inventou o termo “madrugada”. Quem passou a primeira madrugada em claro, e quem – primeiro – teve medo dela. Há quem diga que a madrugada é dos estudantes fervorosos, há quem diga que é dos solitários, há quem diga que é dos amantes, há quem diga que é dos que farreiam, e há quem diga que foi a madrugada foi feita para dormir.

Fazendo Meu Filme 1 (A Estreia de Fani) - Resenha | por Lara


                                                                                                        
Olá, a resenha dessa semana é sobre o livro Fazendo meu filme 1 - A estreia de Fani, da Paula Pimenta.

O livro conta a história da Fani, uma garota de 16 anos que é apaixonada por filmes de amorzinho. O livro que é narrado em 1° pessoa e nos conta sem pressa sua rotina na escola, sua preocupação com as notas, seus problemas com a física, sua paixão platônica - ou não tão platônica assim - pelo seu professor de biologia, seu relacionamento com os pais e amigos, e o que não podia faltar a descoberta de um amor!

O Lado Bom da Vida - Resenha | por Dãmaris


 “Sim, realmente acredito, no lado bom das coisas, principalmente porque eu o tenho visto todos os dias quando saio do porão, enfio a cabeça e os braços num saco de lixo – de modo que meu torso fique embalado em plástico e eu sue mais – e então eu corro.”
        
Hoje vim aqui para falar de um livro que li há um tempo: O Lado Bom da Vida, este foi o primeiro livro de Matthew Quick (também escritor de outros livros, como Perdão Leonard Peocock) que o levou ao mundo dos Best-sellers e do cinema. O livro é narrado por Pat Peoples - que também é o nosso personagem principal -, um ex-professor na casa dos 30 anos, que acaba de sair da clínica psiquiátrica.

A Herdeira - Resenha | por Dâmaris


  
“Nunca consegui prender a respiração por sete minutos. Nem sequer por um. Uma vez tentei correr um quilômetro e meio em sete minutos depois de descobrir que alguns atletas faziam isso em quatro, mas fracassei espetacularmente quando pontadas na lateral do abdome me deixaram exausta no meio do percurso. Contudo, há uma coisa que consegui fazer em sete minutos que a maioria das pessoas consideraria bem impressionante: me tornar rainha.

E é deste modo altamente instigante que Kiera Cass começa A Herdeira – 4° livro da série A Seleção. Com sua escrita simples e leve, que nos levar a passar uma tarde inteira lendo seu livro sem nos cansarmos. A Herdeira se passa 18 anos depois do fim de A Escolha- 3° livro da série – com um contexto parecido, mas uma realidade e uma visão diferente da qual estávamos acostumados.

Se você não leu os três primeiros livros, de agora em diante, esse post pode conter alguns spoilers, caso não tenha lido clique aqui para ler a resenha de A Seleção. Se você não se importar com spoilers siga em frente e fique a vontade!

A melhor esmola (Dâmaris Lívia)


Era um sábado qualquer às três horas da tarde na principal avenida da cidade. Qualquer. Mas como tudo é questão de ponto vista, o que é qualquer para um para outro já não o é, e como tudo é questão de tempo, o que num momento é comum, noutro já o deixa de ser. E foi assim que tudo começou para a doce menina que pedia esmola no sinal às três horas da tarde.
Tal rotina não a incomodava mais. Era sempre o mesmo dilema, acordava de manhã cedo, preparava o café e ia ela e a irmã mais velha para o sinal. Às vezes, esperneava porque queria brincar com as outras crianças, mas tinha que ir com a irmã mais velha por dois motivos: não queria apanhar dela, e por ser uma doce criança as esmolas eram maiores – talvez pela falsa piedade que alguns sentem ao vê-la tão nova e já tão sofrida.
E lá estava ela mais uma vez no sinal.
Quando a luz vermelha acendeu, ela correu para o primeiro carro que viu. Um carro cinza como nuvens carregadas desceu o vidro. A doce garotinha estendeu a minúscula mão e ao levantar a cabeça encontrou os olhos revolucionários, porém carinhosos, de uma jovem mulher.
- Não. – disse a moça que já a tudo observava – Não vou dar dinheiro algum à você. Essa vida foi sua irmã que escolheu, não você. – o sinal abriu, a moça saiu e menina sorriu.
Após três reais e quarenta minutos de trabalho forçado, a menina deitou-se em sua cama improvisada no minúsculo barraco. “Sua irmã escolheu, não você.” Lembrou novamente do que havia ouvido. É, a vida não seria assim se ela tivesse escolha. Mas no fundo um sentimento bom, esperança, lembrou-a que ela era livre e que sim, ela sempre teria uma escolha.
No dia seguinte, bateu o pé, chorou, esperneou e disse que não ia. Com o lábio cortado e o olho inchado, sorriu, foi a melhor surra que havia levado.

Subiu o morro e respirou fundo aquele sentimento de liberdade, não sabia que vida ia escolher, nem quando ia escolher. Hoje, só queria ser criança.

Quero ser Beth Levitt - Resenha







Amelie Wood passou sua adolescência em um abrigo de meninas, pois perdeu os pais muito jovem, porém com a chegada do seu aniversário de 18 anos Amie deve deixar o abrigo para encarar o mundo e correr atrás de seus sonhos. Sua mãe antes de falecer havia deixado uma pequena quantia para que Amie pudesse começar a construir sua vida quando deixasse o abrigo. Sua única companhia no início dessa nova jornada, é seu antigo exemplar de ''Doce Acaso'', o livro favorito de sua mãe, que conta a história de Beth Levitt, uma jovem bailarina que teve sua vida modificada depois que conheceu o príncipe Edward.
Fascinada pela história de Beth, Amie sonha em ter sua vida transformada e encontrar o seu príncipe encantado como sua protagonista predileta. Logo que Amie deixou o abrigo e se instalou em sua antiga casa ela resolveu procurar um emprego, o que ela não esperava era que em meio a sua procura ela seria abordada por um caça talentos chamado Tony que a convida para fazer um teste de comercial. Após algumas adversidades, Amie vai para em um teste para um filme, que não é nada menos que a adaptação de seu livro favorito. 

E a partir daí irão aparecer inúmeros imprevistos na vida de Amie, mas ela não irá desistir de seus sonhos tão facilmente.

Amie me conquistou com sua doçura e graciosidade, porém não confunda sua doçura com fraqueza, pois Amie é uma personagem forte e inspiradora à sua maneira. No início achei que iria ser uma história previsível o que de fato chega a ser, mas a escrita de Samanta torna Quero ser Beth Levitt um livro agradável e estimulante, pois há momentos em que você vive os sonhos e os obstáculos da personagem. Samanta Holtz conquista o leitor com sua mensagem simples e escrita rebuscada. Simples por ser uma mensagem tão falada, mas pouco experimentada que é a busca dos sonhos e permanência de um coração sincero e puro, e escrita rebuscada pela riqueza de detalhes que fazem uma leitura cativante e especial.

Mantenham o coração puro.
Beijos,
Lara Alves.

Livros Interativos, valem à pena comprar?


No ano de 2014 um grande febre atingiu várias pessoas: os livros interativos.O mais conhecido de todos foi o Destrua este Diário. Depois dele temos o Complete Este Livro, Uma Página de Cada Vez, e para que leu A Seleção, temos o Diário da Seleção. Contudo, existem muitas pessoas que possuem um certo cuidado, até mesmo exagerado, que criticaram duramente livros deste tipo, pois acham que é jogar direito fora, estragar um livro, falta do que fazer, dentre outras explicações.

Bom, sou uma pessoa muito cuidadosa com meus livros, tenho cuidado que qualquer leitor compulsivo teria, mas isso não me impossibilita de grifar uma frase que gosto, colar um post-it e etc. Acho isso completamente normal. Livros não são relíquias intocáveis, são coisas que lhe devem dar prazer e ser uma forma de diversão. Se você quer marcar uma frases porque lhe ensina algo, marque!

Já livros como Destrua este Diário, tem um objetivo, expôr sua criatividade, o que tem sido desprezado num mundo em que as pessoas não lêem mais, e pensar tornou-se algo cansativo e fácil de se comprar como já dizia o famoso Reneé Descartes. Além se ser um processo muito engraçado, é ótimo para relaxar nas horas vagas.

Imaginemos, chegamos em casa depois de um dia estressante pegamos um livro desse estilo, e eles simplesmente manda quebrarmos a lombada, rasgar algumas folhas, escrever uns palavrões, de uma forma "poética" digamos, podemos até dizer que é um grito de liberdade! Ou uma forma maravilhosa de relaxar-se sem preocupações. Se eu indico? Sim. Não é "jogar dinheiro fora" se você gosta e pra você é algo divertido. É preferível "jogar dinheiro fora" com um livro que você se divirta à um livro que todos estão lendo e você compra só pra dizer que tem, mesmo odiando aquele estilo. Fica a dica.

Deixo aqui  um  vídeo engraçadíssimo de um youtuber literário que gosto muito fazendo algumas partes de estrua este diário. É o Bruno, do Canal Minha Estante. Para quem não conhece o livro, é um ótimo vídeo pra saber mais ;)
Até a próxima,
Dâmaris. 


O Teorema Katherine - Resenha

                                                            Foto tirada do Google


Olá!

Bom, a resenha dessa semana é sobre um livro que todos possuem uma opinião diferente. Um livro que provoca no leitor apenas sentimentos extremos, quem lê e gosta AMA o livro extremamente, já que não gosta, não chega nem a terminar ou simplesmente odeia. Outra polêmica é: o livro é realmente baseado na tentativa de criar um Teorema, é tanto que o apêndice do livro é a explicação do calculo que o livro gira em torno. Mas a minha opinião? Eu amei. Amei o livro, amei a história e amei a criatividade de John Green E para constar, sou totalmente das humanas, e odeio matemática.

Colin Sigleton é um menino nada comum, sempre foi uma criança prodígio, começou a ler cedo, aprendeu várias linguas e era sempre o primeiro da sala. Outra coisa estranhíssima em Colin é o seu gosto para namoradas, como a sinopse diz "não é físico, mas linguístico" Colin Singleton em sua vida toda namorou 19 garotas e todas elas chamavam-se Katherine. E escritas apenas desse jeito, nem Catherine é aceitável. Ele também possui uma mania inexplicável por desenvolver anagramas. Outro ponto sobre Colin é que toda a sua vida ele buscou seu momento Eureka, sua própria teoria, seu próprio momento, sua própria descorbeta e contribuição para o mundo. Contudo ele está num momento de crise em que toda criança prodígio passa, ele cresceu, deixou de ser criança e tornou-se comum. 

E logo após seu início de sua crise, sua última Katherine termina com ele. 
(Quando você pensar que sua vida está ruim lembre-se de Colin Singleton)

Então seu melhor amigo Hassan, um indiano engraçadíssimo, decide ajuda-lo a superar tudo isso com uma viagem, então eles embarcam numa viagem de carro com o objetivo de visitar o máximo de cidades possíveis dos Estados Unidos, contudo eles não conseguem completa-la quando chegam em uma cidade rural chamada Gutshot e lá Colin e Hassan faz amizade com uma menina chamada Lindsey. Com o passar dos tempos eles se aproximam e então decidem passar um tempo na cidade e logo Colin decide começar a criar um teorema que possa dizer sobre qualquer relacionamente que ele começar como quem terminará o relaionamento, quanto tempo durará, até onde haverá amor. 

Nesse meio tempo Colin vai aprendendo lições que nunca aprenderia na escola, mas lições para vida. Colin se aproxima de Lindsey, mesmo não se chamando Katherine um romance começa a surgir e há um detalhe o único e ex-namorado da Lindsey também se chama o Katherine.

Eu sou apaixonada pela escrita de John Green. O Teorema Katherine é um dos meus preferidos, ele tem notas de rodapé com comentário do Tio João Verde que eu ri muito! É um livro descontraído, engraçado, realista e muito bem escrito. Sua narração é em terceira pessoa e de vez em quando há interlúdios onde é contado os relacionamentos de Colin com as Katherines. Posso dizer que teminei o livro feliz e super satisfeita com a compra. Recomendo para todos.

Até a próxima, 
Dâmaris.

O Nome do Vento - Resenha

                              



Olá!
Bom, primeiramente quero dizer que daqui a algumas semanas sairão algumas notícias e várias novidades que nós temos para vocês quanto ao funcionamento do blog. Mas não preocupem-se são boas notícias! E quanto à resenha desta semana vim falar de um livro que sou apaixonada desde meus 13 anos: O Nome do Vento. Eu li esse livro pela primeira vez quando tinha 13 emprestado de um amigo da minha sala e também foi uma emoção muito grande porque na época ia ser o maior livro que eu já tinha lido (656 páginas) e ainda não havia lançado a continuação: O Temor do Sábio. Então eu li, o tempo passou, e na tão amada Black Friday o encontrei numa super promoção! Mas vamos ao livro.

O contexto do livro foi um grande mistério para mim até que deixei a preguiça de lado e fui pesquisar. O livro é totalmente fictício, como já é propriamente dito na capa: é uma fantasia. Mas para fins de imaginação, o livro se passa no que seria a época medieval, em torno do século XI. Tudo começa numa noite comum na Pousada Marco do Percurso onde o proprietário Kote recebe de uma hora para outra um homem que diz ter sido atacado por um demônio, o que traz um grande reboliço na Pousada, histórias e sentimentos antigos ao proprietário que no dia seguinte resolve caçar os outros demônios que poderiam estar na redondeza.

Kote sai na noite seguinte determinado a achar tais demônios que poderiam estar na redondeza, quando lhe aparece um homenzinho que lhe pede ajuda para poder ficar perto de sua fogueira, e no mesmo momento os demônios os atacam. Após isso, Kote resolve levar o tal homem para sua hospedaria por causa dos ferimentos. E quando ele acordam percebe quem foi o seu salvador, o simples Kote não era apenas um homem de uma cidade pequena, e sim, uma lenda muito conhecida pelo reino. Um homem cheio de nomes, ele era Kvothe, o arcanista, o herói, o assassino. Kvothe, o Matador do Rei. Entre muitos outros.

O homem que Kvothe havia salvo também não era nada simples. Ele era o Cronista do reino, o homem que mais escreveu histórias no mundo todo. E nesse encontro de personalidades importantes, há Bast o estudante de Kvothe . Exatamente estudante, chegarei lá. Após muitas tentativa de convencimento do Cronista para fazer com que Kvothe contasse sua história ele finalmente aceita e isso leva três dias. O primeiro livro retrata o primeiro dia. E então Kvothe irá contar sua história desde quando era uma criança.

Kvothe era uma criança da trupe dos Edena Ruh, artistas intinerante - como se fossem de circo. A vida dele começa a mudar quando ele conhece Ben em uma das viagens da trupe, que não é só apenas um homem inteligente, ele é um arcanista, o que significa que ele veio da Universidade. Os arcanistas eram estudiosos que estudavam química, matemática, medicina, mecânica, linguística etc. Mas assim de tudo, eles ensinam a tão desejada magia. Ou como eles preferem chamar: simpatias. Bem no tempo que passa na trupe ensina tudo isso à Kvothe, e o incentiva extremamente a se tornar um Membro do Arcannum devido sua inteligência. E daí em diante... Ops, não quero lhe contar spoilers (risos).

O mais difícil de resenhar um livro como esse é que o universo criado por Patrick Rothfuss é extremamente grande, havendo vários picos, vários personagens, várias pessoas importantes. É um livro com uma leitura extremamente agradável, engraçada, misteriosa e extremamente inteligente. O que me fez mais gostar do livro foi seu modo de narração. Durante as cenas na Pousada e de Kvothe adulto - e nos capítulos de interlúdio da narração de Kvothe, com as opiniões de Bast, o aluno que Kvothe ensina tudo o que sabe  - o narrador é observador. Já quando ele começa a narrar sua história para o Cronista, é em 1° pessoa e a narração dele é maravilhosa! Já que eu sou uma forte amante de escritores que conversam com o leitor e Kvothe faz isso, tornando a leitura mais misteriosa e incentivando mais a opinião do autor.

O livro é tão bem escrito que Geoge R.R. Martin - escritor de As Crônicas do Gelo e Fogo e um dos maiores escritores de literatura fantástica - deixou dois comentários que estão na capa do livro: "A melhor fantasia épica de 2011" e "Devorei em um dia e já estou louco pelo próximo. Ele é muito bom, esse tal de Rothfuss". O segundo livro da saga épica se chama O Temor do Sábio.

                                      

E para um deixar um gostinho de quero mais, deixo-vos o prólogo. 
Até a próxima,
Dâmaris.





TAG Literária - Dias da Semana em Livros

Feliz Ano Novo!
Olá! Meu primeiro post de 2015 será uma TAG.
Bom, nós do Dimensão Literária não costumamos fazer tag's, mas como não terminei nenhum livro ainda  e tinha que fazer uma postagem achei interessante fazer essa. A tag foi criada pela Pam do Garota IT, e consiste em associar livros aos dias da semana.
Então, vamos lá!

  • Domingo:Um livro que você não quer que termine ou não quis que terminasse.
   Sabe aquele livro que você não quer largar mais? Essa é a minha relação com este livro, pois é uma leitura super simples, rápida e pra qualquer idade!. Posso dizer que dos 7 livros esse é o meu preferido! O livro que conta a história da criação de Nárnia me conquistou de uma forma tão incrível, que virou meu livro de cabeceira.







  • Segunda: Um livro que você tem preguiça de começar.    
  Bom, na verdade não é preguiça e sim medo! Sei que o livro é maravilhoso, pois todos que leram já me disseram isso, porém o tamanho dele me assusta sim! Mas irei retirar esse medo nesse restinho de férias e encarar essa leitura.











  • Terça:Um livro que você empurrou com a barriga ou leu por obrigação.




    Gente, muitos acham um paradoxo eu gostar de Nárnia e não ter saído do primeiro livro de Percy Jackson, mas a  verdade é que eu achei uma leitura chata e uma escrita muito repetitiva, alguns acham o livro infantil, porém não acho que esse seja um argumento para eu não ter gostado,pois tenho livros infantis que sou apaixonada. Foi uma leitura que eu realmente empurrei com a barriga, e talvez eu termine a saga esse ano, mas não está na listinha de prioridades.






  • Quarta: Um livro que você deixou pela metade ou está lendo no momento.

Quero ser Beth Levitt, conta a história da doce Amie, que está em busca de seus sonhos e de seu príncipe encantado. Bom, não irei falar muito sobre ele, pois esta é minha atual leitura e será a minha próxima resenha.









  • Quinta: Um livro que você não recomenda


Esse livro foi a minha decepção de 2014. O livro é baseado na série de mesmo nome Once Upon a Time - que sou apaixonada-  porém  o livro não conseguiu atingir as minhas expectativas, o livro deixou como segundo plano alguns personagens importantes, e faltando algumas cenas da série que seria importante para o desenrolar da história. Eu recomendo a série, porém não recomendo o livro.





  • Sexta:Um livro que você quer que chegue logo (lançamento ou compra).

 A Herdeira da Kiera Cass, eu estou realmente ansiosa pela continuação de A Seleção, pois neste livro teremos uma nova narradora- a Eadlyn - filha da America e do Maxon. Estou curiosa para saber o ponto de vista da herdeira Schreave,  e de como ela irá encarar a sua seleção.











  • Sábado: Um livro que você quis começar novamente assim que ele terminou.


Essa trilogia tirou o meu fôlego!
Comecei a ler Divergente sem muita animação, mas história de Tris me ganhou logo nos primeiros capítulos, e ler o crescimento da personagem ao longo dos livros foi incrível!
E ao ler o último livro - Convergente - senti um misto de sentimentos e quando terminei fiquei com uma vontade imensa de reler a trilogia.






Então, espero que tenham gostado.
Beijos,
Lara Alves.


Feliz 2015! (E uma espécie de Book Haul)

Primeiramente, Feliz Ano Novo!

Estou aqui hoje 1/01/2015, para falar dos livros que não li em 2014 - numa espécie de Book Haul - e que serão os primeiros da lista deste ano. O que impossibilitou a leitura deles, foram as provas de fim de ano (passei direto, estou no segundo ano!) e eles demoraram a chegar um pouco. 


01 - Quincas Borba
Foi o segundo livro lançado por Machado de Assis após Memória Póstuma de Brás Cubas. Quincas Borba aparece em Memórias Póstumas como um mendigo e graças a ajuda de Brás ele conseguiu ser um homem digno. No livro Quincas Borba a história após a morte de Quincas quando ele deixa toda sua herança para Rubião - seu criado - que não conhece esse mundo e logo se apaixona por Sofia mulher de seu melhor amigo. Pelo pouco que li do livro (acho que 40 páginas, se não me engano) é percebível que ele segue o estilo Realista perfeitamente.

02 - Trilogia de Cinco livros O Guia do Mochileiro das Galáxias
Exatamente isso, o título da série já é a primeira de muitas piadas que o livro possui. Tudo começa quando Arthut Dent descobre que sua casa será demolida para que possam construir um via, no mesmo dia o seu melhor Ford Prefect - que é um E.T disfarçado de humano - revela sua origem e alerta-o que o planeta Terra será destruída para que se possa construir um Via Galáctica. Li só o Prólogo e já ri muito!

03 - A Execução de Sherlock Holmes
Sherlockianos que já leram todo os contos, sejam mais feliz com esse livro de cinco contos! Donald Thomas escreveu cinco novos contos sobre o já conhecido Sherlock de Arthut Conan Doyle. Eu li os três primeiros contos e ele escreve tão bem quanto o seu escritor original. 

04 - O Festim dos Corvos
É o quarto livro da premiada saga As Crônicas do Gelo e Fogo, que desta vez será narrado por personagens diferente dos que nós já estamos acostumados, como a Cersei, que terá agora seus próprios capítulos. Este livro se passa ao mesmo do tempo do quinto: A Dança dos Dragões. E a novidade são as novas capa. O meu exemplar, que ganhei de aniversário, já veio com a nova capa. 


Bom, que vocês realizem todos os seus sonhos esse ano de 2015 e ganhem muitos livros!

Até a próxima,
Dâmaris.