O Pássaro - Resenha


Este é um livro que eu indico para os meus leitores que são românticos incorrigíveis, conhecedores do estilo, ou não. Sou um pouco restrita com os romances atuais que leio, mas podem ter certeza O Pássaro ganhou-me por completo. Há também uma novidade, esta é a primeira resenha do blog de um livro brasileiro atual. Samanta Holtz conquistou-me com sua escrita leve e doce. Eu e a Lara - a mais nova escritora - conhecemos a Samanta na Bienal do Livro do Ceará. Conversamos muito, nossos livros foram autografados e até conseguimos um "entrevista" informal que logo postarei. Mas vamos a história!

  
E é assim que começa o Pássaro. Caroline é uma jovem que nunca foi muito de acordo com as convenções da sua época, mesmo tendo tudo que uma menina da sua idade poderia desejar: dinheiro, um bom partido para casar e que a ame - Filip -, e um nome conhecido na sociedade. Mas sua indignação começa quando ainda criança tem um diálogo com o filho de um dos vassalos de seu pai, Bernado, um garoto que entende como o mundo é, e como quem tem dinheiro o controla. Após questionar ao pai porque o mundo é assim, sua vida e sua forma de ver o mundo nunca mais foi a mesma. Anos se passaram, até que em uma noite conturbada Caroline reencontra Bernado e os dois começam a lembrar de quando se conheceram  e desenvolvem uma amizade de amor e ódio, mas de muito companheirismo. Mas com o passar do tempo os dois vêem que tem algo em comum: a prisão em que vivem. Ela por estar presa a sociedade por ser quem é e ter o que tem; ele por estar preso a sociedade, ser um vassalo e não ter condições de sair dessa vida. 

Caroline e Bernado, mesmo tendo uma amizade conturbada e um sentimento estranho entre os dois, acabam sem querer entrando numa história de amor e enfrentando o sistema em que vivem. Uma história intensa, com segredos avassaladores, cheia de magia e nada previsível! Ao passo que vão se aproximando, percebem que suas vidas estão ligadas há muito tempo e há um povo diferente dos que estão acostumados, os ciganos, que para Caroline eram chamados de Malditos por serem nômades e pagãos. Mas algo mais além, há três gerações atrás esse povo fez grande diferença na vida dela.

Se recomendo essa leitura? Sim, muito. Peço que deixem qualquer preconceito literário por ser um livro brasileiro, pois eu também o tinha e vejo agora o quanto eu perdi com isso. Samanta Holtz tem outros dois livros já lançados Quero ser Beth Levitt e Renascer de um Outono. E quando você terminar de ler e bater aquela necessidade de mais, porque vai bater, a Samanta lançou recentemente um conto em ebook de Natal de O Pássaro, mas só leia depois de ler O Pássaro, tem spoilers fortíssimos (https://www.widbook.com/ebook/conto-de-natal-samanta-holtz)!

Até a próxima,
Dâmaris.

Extraordinário - Resenha





Oiê! Então, essa semana li Extraordinário e fiquei apaixonada, pois é uma leitura simples, divertida e inspiradora. August Pullman, ou apenas Auggie é um garoto de 10 anos, que nasceu com uma rara síndrome genética que deixa o seu rosto deformado, e tem que conviver com os olhares indiscretos e muitas vezes assustados da sociedade. Apesar de sua estranha aparência e das inúmeras cirurgias que Auggie fez a fim de corrigir e melhorar sua aparência, ele é um garoto comum,inteligente e bastante divertido, porém nunca frequentou a escola sempre estudou em casa com o auxilio de sua mãe, mas agora seus pais acham que finamente ele está preparado para ir ao colégio, após muita relutância ele resolve ir com a condição de que se tivesse um bom motivo poderia deixar de frequentá-la. Na escola Auggie tem que encarar o desafio de lidar com a crueldade das crianças do ensino fundamental.





Bom, outro aspecto que amei no livro foram os preceitos do professor Browne, que é uma frase em que ele dá ao seus alunos mensalmente para que eles possam refletir sobre ela, e futuramente fazer os seu próprios preceitos.

Extraordinário é narrado em 1° pessoa, porém não é apenas o Auggie que narra o livro é dividido em oito partes, em que algumas são narradas por familiares e novos amigos, o que torna a leitura deliciosa, pois você pode ver como as pessoas que estão ao redor de Auggie se sentem em relação a ele, além da extraordinária observação de Auggie sobre o seu dia-a-dia.


Beijos,
Lara Alves.




A Seleção - Resenha




OLÁ!
Bom hoje eu estou aqui para falar de umas das minhas séries favoritas: A Seleção. Admito que quando vi o livro pela primeira vez não gostei muito. Já que pelas capas femininas e uma história envolvendo um príncipe. Contudo, vamos ao meu drama, era um dia comum e eu estava na livraria em busca de um livro para comprar. Meu pai olhou pra capa do livro e disse: "Olha! Vamos levar esse.". E nós levamos, quando estava no carro mesmo, eu li o primeiro capítulo. E me surpreendi. Ao chegar em casa comecei a ler e não consegui parar. Resultado: li os dois primeiros livros (A Seleção e A Elite) em três dias. 

Outro prazer imensa que A Seleção me proporcionou foi conhecer a Kiera Cass - a escritora da livro - que estavam em uma turnê de autógrafos e veio à Fortaleza. Foram 8 horas de espera na livraria, mas valeu muito a pena. Pude fazer cosplay de Celeste, e o mais incrível foi que ela reconheceu. Juro que quase não conseguia sair de lá, e o Callaway - seu marido - era o maior doce de pessoa que eu já havia conhecido. Kiera foi a pessoa mais simpática que poderia ser e até com os fãs que ela não conseguia falar, ela os tratava bem. 

 



Mas vamos ao livro, começando pelo contexto histórico. A Seleção se passa após a Quarta Guerra Mundial. Os Estados Unidos passaram a dever muito dinheiro à China, e como forma de pagamento a China resolveu ataca-los e escraviza-los, mas o Presidente já estava com planos junto ao seu companheiro Gregory Illéa. Após 20 anos eles resolvem vingar-se numa guerra, a qual a América se aliou aos Estados Unidos e alguns países da Europa também, enquanto a Rússia se aliava à China. Durante essa guerra o presidente morre, os países viram cinza e Gregory Illéa resolve levantar o país novamente com um outro nome: Illéa. Neste pais foi instaurada novamente a Monarquia, e foi o imposto o sistema de castas. As castas vão de 1 a 8. Sendo dividido assim:

Casta 1: Realeza, Nobres, e a Família Real.
Casta 2: Artistas de televisão, modelos, atletas, soldados.
Casta 3: Educadores, filósofos, inventores, escritores, cientistas, médicos, veterinários, dentistas, arquitetos, bibliotecários, engenheiros, psicólogos, cineastas, produtores musicais, advogados.
Casta 4: Fazendeiros, joalheiros, corretores de imóveis e de seguros, chefes de cozinha, mestres de obras, proprietários e donos de restaurantes, lojas e hotéis.
Casta 5: Artistas de Circo, Músicos Eruditos, Dançarinas, Fotógrafos, Pintores.
Casta 6: Secretários, serventes, governantas, costureiras, balconistas, cozinheiros, motoristas.
Casta 7: Jardineiros, Pedreiros, Lavradores, trabalhos braçais em geral.
Casta 8: Bastardos, Deficientes Físicos, Fugitivos e Mendigos.

Nossa personagem principal se chama América, ela tem 17 anos e pertence 5° casta. América mora com os pais e seus 2 irmãos - sendo que os dois mais velhos já saíram de casa - tudo começa quando o príncipe de Illéa faz 18 anos e chega a hora dele ter a sua Seleção. Quando nasce um princesa ela casa-se com um príncipe de outro país para que se haja uma união de nações, já o príncipe organiza a Seleção. Na Seleção 35 meninas entre 16 e 20 anos são chamadas ao Palácio, e o príncipe deve escolher dentre elas uma para ser a futura rainha. Agora vamos voltar a nossa personagem principal, a carta de inscrição chegou à sua casa e sua mãe quer que ela se inscreva porque afinal, enquanto ela estiver no palácio a família receber uma generosa ajuda de custo. Mas existe um porém.

Toda madrugada, quebrando o toque de recolher, América se levanta e vai para casa da árvore onde encontra Aspen, o seu namorado secreto da Casta 6. Os dois até poderiam se casar, mas Aspen não seria elevado a Casta 5 e sim, América desceria para Casta 6. Aspen insiste que América participe, afinal dentre milhões talvez ela nem fosse escolhida. Mas como todos nós já sabemos ela vai. Mas antes de tudo isso, Aspen termina com a América porque não quer que ela tenha uma vida de um Seis e no dia seguinte logo após o término, América é escolhida e vai para o Palácio. Mas na hora da despedida ela tem o prazer de vê-lo com outra garota no meio da multidão. 

Após um longo dia de entrevistas no palácio, crises de selecionado e um dia antes de ver o príncipe, finalmente é noite. Só que uma angústia bate no coração da América e sua única vontade é ir para o jardim - na realidade ir pra casa - mas o jardim seria o melhor que ela conseguiria nem a sacada do seu quarto era suficiente. Então ela simplesmente resolve ir ao jardim no meio da madrugada desobedecendo a ordem de todos. Só que há um porém, os guardas estão lá e não a deixa passar. Quando ela está quase desmaiando...


E assim, começa uma ótima primeira impressão que América traz para o príncipe, e ela não exita em manter tal comportamento.

E à partir daí, o príncipe começa a ver oum novo mundo o qual não sabia que existia, um mundo de miséria e controle político intenso. Um mundo o qual não sabia que iria governar. Mas também a possibilidade de encontrar alguém que poderia ter a chance de se apaixonar lá dentro. Mas após algumas semanas de Maxon tentando conquistar o amor de América surge um problema, Aspen agora é soldado no castelo e nunca esteve tão próxima de América como agora. 

O livro é narrado em primeira pessoa, como já puderam perceber. E se divide em A Seleção, A Elite e A Escolha. Os Contos da Seleção, faz parte da série e possui, parte da Seleção narrado por Maxon, parte da Elite narrada por Aspen, os três primeiros capítulos de A Escolha, playlist dos livros e árvore genealógica de Maxon, Aspen e América (acredite é muito interessante). Se eu vos contasse mais serias spoiler, mas espero que interessem vocês. E aprendam minha lição, nunca julgue um livro pela capa. <3

Até próxima,
Dâmaris.